Sobre a tembici

Como a bicicleta colabora para a mobilidade urbana sustentável?

Atualizado em 28 abr. 2022 Pedalar Por: Redação Bike Itaú Leitura: 5 min.

Você sabe o que é mobilidade urbana sustentável ou até do que se trata esse conceito? A vida nas cidades depende do funcionamento dos transportes e do fluxo de pessoas espalhadas por diversas regiões, mas nem sempre essa circulação acontece de forma positiva para a sociedade. 

Conforme a população cresce, a demanda de transporte e demais serviços aumenta e passa por uma constante mudança. Carros, ônibus, bicicletas e outros modais são utilizados para garantir o funcionamento da vida na cidade. Para entender a relação entre os transportes e a mobilidade sustentável, continue a leitura!

O que é mobilidade urbana sustentável?

O conceito de mobilidade urbana sustentável diz respeito à busca de melhorias nos meios de transporte. Assim, as mudanças propostas para bicicletas, veículos motorizados individuais e modais coletivos, como o ônibus, tem como objetivo a redução de impactos ambientais.  

O uso de veículos motorizados facilita a locomoção de muitas pessoas, mas também é um dos responsáveis pela poluição atmosférica. Isso acontece porque eles são movidos a combustíveis que, ao serem queimados, liberam gases que contribuem para o efeito estufa, o aquecimento global e a chuva ácida.

Contabilizados em mais de 58 milhões no Brasil, os carros utilizam gasolina. Esse combustível é um dos mais poluentes, por ser derivado do petróleo. Agora, imagine quanta poluição o uso desse automóvel gera diariamente nas grandes cidades. Tudo isso pode ser melhorado com a mobilidade sustentável.

Além da preservação do meio ambiente, as propostas desse tipo de mobilidade envolvem menos gasto de energia e prezam pela fluidez do espaço urbano. Como a realidade em muitos locais é o congestionamento frequente, a ideia é também propor um sistema de transporte integrado que reduza a paralisação das vias.

Como ela é promovida?

A mobilidade urbana sustentável depende de esforços ambientais, infraestrutura e amparo legal. Afinal, somente a criação de tecnologias para transportes sustentáveis não é suficiente para o pleno funcionamento. É necessário pensar em medidas de conscientização para usá-los e melhorias na estrutura urbana. 

Inicialmente, as iniciativas começam pelo incentivo de modais menos poluentes, como as bicicletas e os sistemas coletivos ou compartilhados. O número de bikes, por exemplo, cresce gradativamente no Brasil e é reforçado pela ampliação da malha cicloviária em diversas regiões. 

Na Holanda, o uso de bikes se destaca ainda mais. A cidade de Groningen é referência mundial em infraestrutura cicloviária, pois o planejamento urbano foi desenvolvido com foco nos pedestres e nos ciclistas. Esse avanço aconteceu em 1977, com o plano de circulação de tráfego que promove a cultura do ciclismo.

Ela também é promovida pela valorização do uso de energias limpas e renováveis por transportes coletivos. Ônibus elétricos, VLT (veículo leve sobre trilhos), metrôs e trens são alternativas que melhoram a circulação do tráfego urbano, reduzem a poluição sonora e atmosférica.

O uso de ônibus elétricos, conhecidos como trólebus, em São Paulo é reforçado pela lei n.º 16802/2018. Ela confere a redução da emissão de dióxido de carbono (CO2) pelo transporte urbano municipal, por meio da utilização gradual de combustíveis e tecnologias mais limpas e sustentáveis.

Mulher andando de bike.

A contribuição das bicicletas 

De acordo com o estudo Estado da Qualidade do Ar no Brasil, o setor de transporte é responsável por 90% das emissões de gases poluentes. Por isso, é importante reduzir o uso dos combustíveis para evitar danos ao meio ambiente e à saúde da população. 

É nessa hora que as bicicletas têm um papel indispensável para mobilidade e acessibilidade. Elas são práticas de usar, reduzem o fluxo de veículos nas ruas e avenidas, e estão disponíveis em sistemas de compartilhamentos espalhados pelo Brasil, como o bike Itaú. 

Quanto mais pessoas adotarem a bicicleta como principal meio de transporte, menos dióxido de carbono e outros gases que deterioram a atmosfera serão emitidos. O ar será mais limpo e diversos problemas serão reduzidos, como as doenças respiratórias, o aquecimento solar e algumas instabilidades climáticas. 

bike Itaú

As bicicletas compartilhadas reforçam o conceito de mobilidade urbana sustentável. Mais que contribuir para o meio ambiente, elas melhoram a qualidade de vida, promovem o bem-estar e otimizam o dia a dia. 

A economia também é garantida pela variedade de planos de utilização. Cada cidade possui diferentes opções que podem ser selecionadas com facilidade. Basta fazer o cadastro e seguir as instruções do aplicativo.

Qual é a importância da mobilidade sustentável?

Agora que você sabe o que é mobilidade urbana sustentável, fica mais claro por que ela é relevante. Todos os aspectos ambientais já foram mencionados anteriormente e são os principais benefícios das propostas oferecidas por esse conceito. 

Porém, a importância dos meios de transporte sustentáveis vai além da redução dos impactos no meio ambiente. Os modais com energia limpa promovem a melhoria da saúde da população. O sistema respiratório é beneficiado, pois há a redução de infecções, inflamações, asma e doenças pulmonares. 

As medidas propostas pela mobilidade sustentável também são essenciais para a circulação humana. Com o funcionamento dos transportes coletivos e compartilhados, como ônibus e bicicletas, menos veículos motorizados geram congestionamentos e o fluxo pode ser mais harmônico. 

Saiba mais sobre as vantagens do transporte sustentável!

Gostou de conhecer o conceito de mobilidade urbana sustentável? Então, aproveite para ler outros conteúdos sobre a contribuição das bicicletas, aqui em nosso blog! Se ficou curioso para saber mais sobre bike Itaú, faça o download do app e comece a pedalar!