Sobre a tembici

Ciclovia e ciclofaixa: entenda as diferenças e descubra como foi a evolução

Atualizado em 28 abr. 2022 Ciclovias Por: Redação Bike Itaú Leitura: 5 min.

Pedalando pela cidade, você provavelmente já notou que existem espaços destinados aos ciclistas. Ciclovia e ciclofaixa são projetadas especialmente para melhorar a mobilidade urbana e trazer mais segurança a quem precisa pedalar no dia a dia.

Cada região possui uma proporção diferente de malha cicloviária. Por isso, nem sempre será possível encontrar uma faixa exclusiva e, às vezes, será necessário pedalar em meio aos demais veículos. Mesmo assim, ciclovia e ciclofaixa são dois espaços de extrema importância para as bicicletas. Continue a leitura para conferir por quê!

O que é uma ciclovia?

De acordo com a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET), a ciclovia é a pista exclusiva para bicicletas e outros ciclos. Entre eles, estão triciclos, quadriciclos, patinetes, patins, skates e cadeiras de rodas. Como a circulação é específica para estes veículos, há uma separação física entre esse espaço e o tráfego comum.

As primeiras ciclovias do mundo surgiram no início do século XIX. França, Holanda, Inglaterra e Alemanha são exemplos de países que se preocuparam em criar uma faixa distinta para as bicicletas que não estivesse tão próxima dos demais veículos.

Atualmente, as ruas são asfaltadas e, consequentemente, as ciclovias também, mas você sabia que, antes dessa evolução, ela já foi feita por blocos de madeira? Em 1935, a cidade de Berlim começou a implementar esse tipo de material como um progresso na história das bicicletas.

Assim como na Alemanha, a reivindicação dos ciclistas em diversos países era por uma superfície mais plana e fácil de atravessar. Isso porque nem sempre os pneus eram de materiais resistentes que aguentassem pequenos obstáculos, como solos irregulares.

Após alguns anos, a primeira ciclovia foi criada na América Latina. Em 1977, Campo Bom, uma cidade no Rio Grande do Sul, foi beneficiada com 18 mil metros de extensão para o passeio de bicicletas.  Nessa época, as bikes eram o principal meio de transporte na cidade, por isso era necessário ter mais espaços próprios.

O que são as ciclofaixas?

A ciclofaixa se diferencia por ser uma parte da pista de rolamento, da calçada ou do canteiro destinada à circulação especial para as bicicletas. Ela é delimitada por sinalização específica, que normalmente são placas, pintura do asfalto em vermelho e um desenho de bike para representar e delimitar o espaço.

Essas faixas ficam próximas ao tráfego dos outros automóveis. Seguindo as normas do Código Brasileiro de Trânsito (CTB), os ciclistas devem seguir a mesma direção do fluxo da via. Pedalar na contramão é proibido e só acontece mediante a permissão da autoridade de trânsito.

Alguns locais com ciclofaixa em SP permitem, inclusive, uso exclusivo e ampliado das bicicletas aos domingos. Esse é o caso da Avenida Paulista, que conta com uma ciclofaixa de lazer, e do Minhocão, onde pedestres e ciclistas dividem um amplo espaço para atividades físicas ou passeios.

Seguindo a mesma linha cronológica do espaço anterior, as ciclofaixas começaram a surgir no século XIX. Na Alemanha, a primeira foi feita de tijolos, com 60 cm de largura, no meio de uma rodovia. Apesar de não conter uma sinalização evidente, foi essa a forma encontrada para distinguir o espaço dos ciclistas.

Hoje em dia, elas estão espalhadas em diversas regiões das cidades brasileiras e fazem toda a diferença no percurso dos ciclistas. Como muitos preferem pedalar na rua, a ciclofaixa é uma forma segura de estar mais próximo dos outros carros e, ainda sim, seguir seu próprio ritmo.

Qual é a importância desses espaços?

Agora que entende a diferença entre ciclovia e ciclofaixa, é provável que você já saiba a importância de ambas para a mobilidade urbana. Com a criação de áreas exclusivas para ciclistas, a autonomia das bikes é maior, porque cada pessoa pode pedalar em um ritmo confortável e no caminho desejado.

Apesar de a questão da segurança ser relativa, o CTB preza pela integridade do ciclista e exige que a circulação nas vias comuns só ocorra na ausência de ciclovia e ciclofaixa.

Ciclovia.

Em horários de congestionamento, esses espaços ajudam o ciclista a percorrer caminhos mais regulares, sem desviar de tantos automóveis parados nas ruas e avenidas. Por outro lado, a separação serve de lembrete para os condutores de que as bicicletas também devem ser respeitadas no espaço comum.

As áreas exclusivas para bikes também incentivam o uso desse modal de transporte no cotidiano. Ao ver que é possível pedalar com segurança para chegar em diversos locais, muitas pessoas optam por não depender apenas de transporte público e privado ou corridas de aplicativo.

Como encontrar as mais próximas?

Para encontrar ciclovia ou ciclofaixa na região onde pretende pedalar, é necessário consultar os mapas oficiais da cidade. Eles são disponibilizados na versão digital pelas prefeituras e são atualizados a cada inserção de novos trechos ou interdições.

Os aplicativos com sistema de GPS também indicam as ciclovias mais próximas. O Google Maps aponta os acessos nas regiões de parques, estações de trem, marginais e outros locais.

Bike Itaú

Um aplicativo que pode facilitar as pedaladas em ciclovias e ciclofaixas é o bike Itaú. Ele disponibiliza um mapa da região e contabiliza a duração de cada viagem. Esses são apenas alguns complementos do sistema de compartilhamento de bicicletas oferecido por ele.

Com apenas alguns cliques, você pode se cadastrar, selecionar um plano em diversas cidades brasileiras e começar a pedalar. Economia de tempo, dinheiro e mais bem-estar são garantidos com as bikes compartilhadas.

Continue lendo sobre as bicicletas!

Que tal complementar a leitura sobre ciclovias e ciclofaixas com outros conteúdos exclusivos? Aproveite a visita em nosso blog para tirar suas dúvidas e ficar por dentro das novidades de bike Itaú.