Sobre a tembici

Cicloativismo: conheça tudo sobre o movimento

Atualizado em 24 maio. 2022 Curiosidades Por: Redação Bike Itaú Leitura: 5 min.

Você já ouviu falar sobre cicloativismo? O movimento consiste em um conjunto de ideais que defendem os direitos dos ciclistas no uso das vias, sejam públicas, sejam privadas. Este grupo de ativistas busca uma maior inclusão da bicicleta na mobilidade urbana, visando ao conforto e à segurança na mobilidade urbana.

Os cicloativistas buscam lutar por mais espaço nas vias urbanas, promovendo a bike como principal meio de transporte sustentável para as cidades. Para você ficar por dentro de tudo sobre esse assunto, desenvolvemos um guia completo. Confira a seguir.

Um pouco de história

Quando pensamos em um movimento, logo nos perguntamos sobre quando ele surgiu. Contudo, é difícil dizer a data exata da fundação do cicloativismo. Os movimentos populares se expandiram para grande parte da população, instalando o conceito do movimento na mente das pessoas.

Um dos principais foi o Critical Mass, “Massa Crítica”, traduzindo para o português. Ele surgiu em São Francisco (EUA), em 1992, com o propósito de gerar mais visibilidade sobre o aumento de pessoas que adotam as bicicletas como o principal meio de transporte, exigindo que as necessidades delas fossem atendidas.

O movimento ficou mundialmente conhecido e foi adotado por diversas cidades ao redor do mundo. Uma das consequências foi os grandes centros urbanos adotarem medidas para promover a maior circulação de bicicletas, oferecendo pedaladas mais agradáveis para os ciclistas.

No Brasil

No Brasil, o Critical Mass deu origem a outro movimento de cicloativismo chamado Bicicletada, com início em 1997, na cidade de Blumenau (SC), e em 1998, em São Paulo (SP). O objetivo era combater a cultura do carro e promover a utilização das bicicletas nas cidades.

Em 2002, o movimento Bicicletada também começou a acontecer em outras cidades. Entre elas, estão: Rio de Janeiro, Curitiba, Vitória, Recife, Fortaleza, Florianópolis e muitas outras.

Tipos de cicloativismo

O cicloativismo pode ser dividido em dois tipos: o formal e o informal. O primeiro consiste em um movimento que apresenta algum vínculo com governo local, associados ou empresários.

Já o cicloativismo informal consiste em movimentos sem vínculo com o governo nem patrocínios empresariais. Um exemplo disso são pessoas que utilizam a internet para promover a causa e marcar encontros com regularidade.

Leis de trânsito no Brasil

Bicicletas e outras variações são todas consideradas veículos, com direito de circulação pelas vias e prioridade sobre os automotores. Por isso, há leis de trânsito para ciclistas que visam melhorar a mobilidade urbana e promover a segurança de todos no trânsito. Conheça as mais importantes.

Ciclistas têm prioridade sobre veículos

Segundo o Art. 29 da CTB (Código de Trânsito Brasileiro), os veículos maiores sempre serão responsáveis pela segurança dos menores. Assim, os pedestres têm prioridade sobre as bicicletas no trânsito, assim como as bikes têm prioridade sobre os demais veículos motorizados.

Sem bicicletas na calçada

Outra regra de trânsito para os ciclistas é não andar de bicicleta sobre a calçada, a não ser que ela esteja desmontada e você a empurre. Caso contrário, a pessoa está sujeita à multa.

Via da direita

Os ciclistas no trânsito devem se manter na via da direita em ruas ou avenidas. Por isso, ao pedalar de bike, lembre-se de estar do lado correto e contribuir para a mobilidade urbana.

Mulher andando de bicicleta.

Acessórios

Apesar de muitos acessórios não serem exigidos ao andar de bike, lanternas, buzina, refletivos (nas laterais, na frente e atrás) e pedais são obrigatórios, conforme prevê o Código de Trânsito Brasileiro.

Atenção aos espaços públicos

Além das ruas e avenidas, há diferentes espaços públicos destinados às bicicletas, como ciclovia e ciclofaixa. Se deseja utilizar uma dessas opções, saiba a diferença entre elas.

Ciclovia

Destinadas para ciclismo utilitário ou prática de exercícios físicos, seja andando de bike, seja correndo, as ciclovias podem ser utilizadas por ciclistas ou pedestres. As vias possuem uma faixa exclusiva, delimitada por micropostes ou barreiras.

Ciclofaixa

Diferentemente da ciclovia, a ciclofaixa não conta com micropostes ou barreiras, mas é delimitada por sinalização ou cores. Há também a ciclofaixa de lazer temporária, comumente ativada aos feriados e domingos.

Outros movimentos

Em cada estado, podemos encontrar diversos grupos de cicloativismo, além dos movimentos nacionais, como a União de Ciclistas do Brasil (UCB). Ela possui o objetivo de levantar e organizar discussões em torno do uso da bike. Fundado em 2007, o movimento discute assuntos importantes sobre a bicicleta na mobilidade urbana em nível federal.

Além disso, no nosso país, há os movimentos Bike dos Anjos e Ciclistas do Brasil, que possuem parceria Secretaria Nacional de Mobilidade Urbana do extinto Ministério das Cidades. Eles abordam discussões sobre os planos de mobilidade urbana nos municípios.

Conheça mais sobre o universo das bicis

Após entender melhor o conceito de cicloativismo, aproveite para conferir outros conteúdos relacionados no nosso site. Nele, você encontra dicas, informações importantes e tudo o que você precisa saber sobre as bicicletas. Também contamos com planos exclusivos de bikes compartilhadas. Confira!