Sobre a tembici

Como melhorar a autonomia da bicicleta elétrica?

Atualizado em 05 abr. 2022 Segurança Por: Redação Bike Itaú Leitura: 5 min.

As bikes elétricas são a solução para otimizar o tempo e chegar aos destinos com mais facilidade. Com um motor que dá energia extra às pedaladas, a experiência se torna mais confortável. Pensando nisso, é importante saber como manter uma boa performance e melhorar a autonomia da bicicleta elétrica

A autonomia de cada bicicleta é determinada pela amperagem e pode variar de acordo com a bateria, a potência do motor, o tipo de terreno em que se pedala e outros fatores. Com algumas dicas, é possível incrementar o desempenho da bike e aproveitar mais o pedal. Confira a seguir! 

1. Carregue a bateria 

A maior preocupação de quem tem uma bicicleta elétrica é o carregamento da bateria, pois cada modelo possui um tipo. Ela pode ser de lítio ou chumbo-ácido e, consequentemente, ter tempos diferentes na corrente elétrica para carregar.

É essencial ler o manual do fabricante para saber como carregar a bicicleta elétrica. Assim, você não corre o risco de carregar por menos tempo que o necessário e não fica sem bateria enquanto pedala. Apesar de ela funcionar sem carga, a ajuda do motor faz diferença em alguns percursos. 

Ela deve ser completamente carregada antes de ser utilizada, e a recarga só deve vir quando ela estiver zerada, para não comprometer a vida útil dela. No caso daqueles que optam pelo aluguel de bicicleta, a recarga é feita pela empresa, e não pelo usuário. É muito prático, sem preocupações!

Bicicleta compartilhada

O sistema de aluguel de bicicleta compartilhada é a solução para quem quer praticidade e economia na hora de pedalar. Com Bike Itaú, basta fazer o download do aplicativo, cadastrar-se e escolher o plano de aluguel mais adequado ao seu estilo de vida. 

No aplicativo, você tem acesso ao mapa da região e acompanha as viagens em tempo real. O melhor de tudo é que você não precisa se preocupar com as manutenções das bicicletas e a recarga do modelo elétrico (disponível no Rio de Janeiro).

2.Faça a troca da bateria

A autonomia da bicicleta elétrica depende, em grande parte, dos cuidados com a bateria. Além de carregá-la de forma contínua até completar a carga necessária, é preciso se atentar ao tempo de vida útil e trocá-la por uma nova quando o desempenho já não está satisfatório.

Assim como os demais componentes da bike precisam de manutenção, as baterias devem ser trocadas ao sentir que a duração está menor e a frequência de carregamento está maior. Muitas vezes, insistindo na bateria desgastada, você pode ficar na mão quando menos espera.

Por isso, previna-se e tenha uma bateria extra para substituir a antiga. Lembre-se também de que a nova, muitas vezes, já vem carregada, mas precisa ficar na corrente elétrica até estar com a carga completa nas próximas vezes, preservando o desempenho dela.

3. Lubrifique a corrente 

As manutenções também influenciam a autonomia da bicicleta elétrica. Os mesmos cuidados tomados com as bikes tradicionais também são recomendados para esse modelo com motor. É o caso da limpeza com produtos neutros, do polimento com cera própria e do ajuste dos parafusos. 

A lubrificação é uma etapa que diminui o atrito da corrente da bicicleta. Quando as peças de articulação (corrente e pedivela) e de transmissão (pivô de freio, suspensão e desviador) têm mau funcionamento, isso é um sinal de que precisam de óleo. 

Para lubrificar, comece limpando as peças e aplicando um produto próprio para bikes. Não utilize óleos caseiros, mas sim lubrificantes úmidos ou secos. Após a aplicação, se for preciso, seque com um pano. O excesso de produto pode prejudicar o funcionamento das peças, então use pequenas quantidades.

Homem parada com o bicicleta elétrica.

4. Use o motor com moderação

Para ter uma bicicleta elétrica com maior autonomia, é necessário ter cautela com o uso do motor. Por mais que ele esteja ali para facilitar o trajeto, você pode diminuir o nível de pedalada assistida, ou seja, em vez de contar apenas com a energia do motor, faça um esforço extra nos pedais e economize bateria. 

Em superfícies planas, por exemplo, andar de bicicleta é mais leve e não há tanta necessidade de utilizar o apoio do motor. Então, poupe energia para utilizá-lo nos trechos e momentos em que precisa de uma força a mais nos movimentos, como na volta de um dia de trabalho. 

O consumo de energia é maior em subidas e terrenos irregulares, por isso você pode utilizar a bateria economizada nesses trajetos. Também é possível pedalar com maior intensidade e não depender apenas do motor. 

5. Calibre os pneus 

A pressão ideal dos pneus varia entre 40 psi e 50 psi. Quando está muito baixa, ela deixa o movimento mais lento. Pedalar com um pneu murcho afeta a performance e aumenta o impacto nas superfícies, podendo causar desconforto no corpo.  

Deixe os pneus cheios na medida certa para não precisar de mais apoio da bateria no caminho. Enchê-los mais que o necessário aumenta o risco de furar, então a preocupação será trocar o pneu por um novo ou remendar a câmara de ar. 

Outro ponto que melhora a autonomia da bicicleta elétrica é o aspecto do pneu. Quando ele está careca, há mais risco de escorregar nas curvas e a aderência com a superfície diminui. Por isso, atente-se ao momento de trocá-lo por um novo e garantir mais segurança. 

Acompanhe o universo das bicicletas

Agora que você tem boas dicas de autonomia da bicicleta elétrica, o desempenho da sua pedalada vai ser ainda melhor. Continue acompanhando os conteúdos do blog para saber mais sobre as bicicletas! Se tiver interesse na Bike Itaú, visite o site e garanta uma nova experiência!